sábado, 28 de março de 2009

Um dia vai usar a minha tatuagem...


Pegue a colheita, traga-a toda para cá.
Aqui não estamos mais congelando com este frio.
Mas e agora?
Cabeça descoberta, lá vem o sopro...
Um dia vai usar a minha tatuagem!
Vai andar em circulo e em ciclos
Quantas vezes você viveu nesta vida?

Espere um pouco
Mais um pouco...
...

Você pode ir agora, não olhe a ponte desmoronando.
Não existe mais o trilho para o brilho manter a estabilidade
Alguém está batendo na porta...
É ela congelando, você está quase lá.
Com o tempo estará usando a minha tatuagem...

Entre, mas deixe a floresta lá fora!
Aqui está mais claro mesmo com poucas velas.
Não vamos congelar agora.

Jogue o fruto na mesa.
Eu pensei que estava sobre a ponte agora
Jogue suas palavras aqui na mesa
Pensei que estivesse certa disso...

Todas as pessoas aqui estão congelando
E eu não posso acreditar que eu poderia te impedir de voar
Se isso fosse o que te levaria a navegar
Levaria-te para casa
Vamos navegando para casa.

Hoje ganhei uma nova tatuagem.

5 comentários:

  1. Sim, por alguma força estranhamente familiar comecei rapidamente a usar sua tatuagem... Não, não pergunte se a proximidade foi determinante, pois não foi. Nesses tempos de frio, as velas são muito mais importantes, iluminam de uma forma doce e sincera. Talvez seja essa docilidade que busco tão incessantemente, sem medo, sem ponte, sem trilhos. Mas hoje preciso desenhar a minha tatuagem.

    ResponderExcluir
  2. Herr, quanta inspiração... De todos os textos, esse é o que mais gosto. Principalmente a parte final dele.

    ResponderExcluir
  3. Conforme vou vivendo vou percebendo ciclos, fases em que me sinto animada, aberta... outras fico fechada, calada, triste... As coisas sempre acontecem em ciclos e um dia vou usar sua tatuagem também

    ResponderExcluir
  4. Com o tmepo estarei usando a tua tatuagem!

    ResponderExcluir